15 de outubro: um novo começo para os professores


Em 1827 o imperador Dom Pedro I estabeleceu que, em quinze de outubro, se comemoraria o Dia dos Professores. Em 2021, esse dia traz um novo significado, atrelado à recomeço, de uma forma muito especial. Em tempos de pandemia, ser professor implica em mitigar desafios diários e impensáveis. Especialmente porque, atualmente, a vida social impõe novos paradigmas educacionais que revolucionam a prática pedagógica.

A chegada do coronavírus ao nosso país trouxe situações que atingiram profundamente o papel da educação. Isso porque os profissionais da área precisaram avançar cerca de uma década em apenas um ano, gerando mudanças e inovações provocadas pela realidade pandêmica.


Por essa razão, todos exercem o papel de educador, seja pelas habilidades desenvolvidas ou pelos desafios superados, vivem um novo começo. Sabe-se também que foi necessário se tornar flexível às adaptações, principalmente no que diz respeito ao uso da tecnologia como uma ferramenta pedagógica e social.

Em um mundo em que o distanciamento físico foi necessário e o fortalecimento emocional, imprescindível, a busca por novos recursos para atender aos imperativos da formação, sobretudo de crianças e adolescentes, se tornou constante.

Durante muito tempo, pensou-se que uma máquina, em algum momento, assumiria o lugar do educador em um futuro tecnológico. Contudo, a pandemia veio para nos mostrar que, apesar dos avanços da tecnologia, o papel destes profissionais está garantido e sempre será essencial. Presencialmente ou a distância, não há equipamento que possa suprir o abraço, o olhar cuidadoso e as aprendizagens mediadas por um professor.


Com o retorno das aulas presenciais, o professor tem procurado preencher lacunas e abrir espaço para que os alunos voltem a desejar aprender. E só é possível com grandes doses de profissionalismo e empatia. O novo começo, híbrido, fez com o que o docente se movimentasse em relação à própria formação. Precisou buscar conhecimentos, aprender o funcionamento do espaço virtual e, mais do que isso, transformá-lo em ferramenta pedagógica e de interação que, além de avançar de acordo com os objetivos educacionais, assume o compromisso de suprir as perdas pedagógicas e socioemocionais que nunca foram tão significativas como neste período.


Temos muito a comemorar e a valorizar nesta data. Ser professor, hoje em dia, é ser, acima de tudo, alguém capaz de usar a tecnologia a seu favor no processo educativo. Mas o grande diferencial está na capacidade de considerar o aluno como pessoa que pode estar por trás de uma câmera que se abre ou não, alguém com emoções que nenhum algoritmo seria capaz de perceber.