top of page

71% dos moradores do DF querem morar em casas em condomínios fechados, aponta pesquisa


O desejo por morar em casas dentro de condomínios fechados vem crescendo dia após dia, na região do Distrito Federal (DF). É o que constatou levantamento feito pela Datastore, empresa especializada em pesquisas sobre o mercado imobiliário, e encomendado pela incorporadora Plano Urbano. Segundo o estudo feito recentemente junto à população da capital federal, cidades satélites e cidades do entorno do DF, 71% dos entrevistados querem morar em casas em condomínios fechados. De acordo com a pesquisa, 88% dos entrevistados elencaram como principais prioridades num imóvel os itens portaria 24 horas com guarita, porteiro e controle de acesso. Um percentual de 85% das pessoas ouvidas apontou como essencial na área de lazer itens como piscina, salão de festas e playground/ brinquedoteca. O levantamento encomendado pela Plano Urbano ouviu uma amostra de 100 pessoas, do dia 25 de fevereiro a 10 de março de 2022. O grande problema é que, em Brasília, a grande maioria dos condomínios fechados são irregulares, o que gera certa insegurança jurídica. Segundo levantamento do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Distrito Federal (Creci-DF) e do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci), tendo como como base em dados da Pnad Contínua, cerca de um terço dos imóveis do Distrito Federal são irregulares. De 980 mil domicílios, apenas cerca de 600 mil têm matrícula. De olho nessa tendência apontada pela pesquisa, a Plano Urbano lança no próximo sábado (23), o Casas do Vale dentro da cidade criativa Reserva do Vale, que está sendo desenvolvida no entorno do DF. As casas serão construídas em uma reserva especial de 53 terrenos dentro do Brisas do Vale, um dos condomínios horizontais que integra o Reserva do Vale. O lançamento acontece no sábado, 23 de setembro e, no local, haverá uma casa modelo construída e decorada para visitação. O diretor comercial do Reserva do Vale, Emerson Vieira, explica que essa proposta diferenciada trazida para o lançamento da etapa Casas do Vale visa atender um público seleto que tem uma vida corrida. “Nem todo mundo tem disponibilidade e tempo para construir. Tanto é que a mesma pesquisa aponta que o interesse por adquirir terreno é de apenas 50% dos entrevistados. As famílias estão procurando um lugar com qualidade de vida para morar, mas querem praticidade”, explicou. Opções O Casas do Vale oferecerá duas tipologias e quatro projetos para o público: casas térreas de 125 metros quadrados (m²), com 3 quartos, com salas em pé direito duplo e fachadas modernas; e sobrados de 3 quartos com áreas de 147m². “Todas as opções de projetos poderão contar com energia fotovoltaica, piscina, e área gourmet”, acrescenta Emerson Vieira. Ele aponta que outro ponto positivo é que ao adquirir o lote, o futuro morador não precisará se preocupar com a aprovação do projeto, com a condução do processo de aprovação de crédito e nem com a execução das obras. “Além da execução da obra, todo esse trâmite burocrático junto à prefeitura será feito pela empresa”, afirma Emerson. Outro ponto positivo do Casas do Vale é o financiamento direto com a construtora em até 240 vezes após a entrega das chaves. "Nós traremos uma nova modalidade de financiamento, direto com o empreendedor, sem burocracia na aprovação do crédito. Será um dos grandes diferenciais que dá muita facilidade na hora da compra", salientou o diretor comercial do empreendimento. Quem já tem o lote, pode contratar somente a construção da casa. Ultrapassando o conceito de um mero bairro planejado, o Reserva do Vale adota o conceito de cidade criativa, conta com mais de dois milhões de metros quadrados e terá capacidade para receber 50 mil famílias. Terá condomínios horizontais, verticais, parques, malls, conveniência, espaços culturais, ciclovias, monitoramento, tecnologia, entre outros itens.


Comments


bottom of page