A fotografia analógica vive: Feira de Fotografia Analógica - Filme Queimado


A feira de fotografia analógica Filme Queimado reúne fotógrafos, colecionadores de câmeras analógicas e estúdios de revelação provando que o tempo passa, o filme queima mas a paixão pela fotografia nunca morre.

No dia 07 de maio (sábado) acontecerá no Bom e Velho Mercado de Antiguidades a feira de fotografia analógica Filme Queimado. O evento tem entrada gratuita e reunirá colecionadores de câmeras analógicas, fotógrafos e estúdios de revelação para um dia dedicado à fotografia analógica. Das 11h às 20h o público poderá realizar uma pequena viagem no tempo e se reconectar ou se aprofundar na arte da fotografia analógica.

O antiquário Bom e Velho Mercado de Antiguidades (@bomevelhodf) sedia o evento. Localizado no Guará, próximo ao Clube da Saúde e do Galpão 17, o antiquário foi inaugurado há pouco mais de um ano e conta com um acervo de mais de 25 mil peças, entre móveis antigos, objetos vintage e, é claro, câmeras analógicas.


A feira Filme Queimado conta com o apoio e o chopp da Cervejaria Caveira Jaime, a cervejaria do Galpão 17 (@galpão17df). Além do chopp, durante todo o dia o Bom e Velho estará servindo pão com linguiça, sanduíches veganos, petiscos e cafés especiais em seu recém criado café, o Café no Fim do Mundo.


Tanto quem já tem experiência quanto quem está começando a se aventurar na arte da fotografia analógica vai encontrar o que procura na Filme Queimado. O evento contará com a presença de figuras ilustres da cena de fotografia de Brasília como Ignacio Navarro (@ignavarro), Eugenio Novaes (@eugenio_novaes_darkroom) e Zuleika de Souza (@zuleikas). Navarro é apaixonado por fotografia desde os 12 anos de idade, quando ganhou a primeira câmera, uma Kapsa, que tem até hoje. Ele ganhou de amigos e colegas fotógrafos o título de maior colecionador de câmeras de Brasília e não foi atoa. Hoje sua coleção particular conta com câmeras Nikon, Contax, Hasselblad, Rolleiflex, Yashica, Olympus e outras marcas curiosas, algumas das quais estarão à venda na Filme Queimado neste sábado.


Eugênio é da velha guarda da fotografia de Brasília, com 40 anos de experiência em fotografia, trabalhou em grandes jornais e revistas de Brasília. Há pouco tempo voltou a fotografar em filme e aproveitou a deixa da retomada do interesse pelo filme, reuniu o material que tinha guardado e montou um laboratório onde faz revelação e ampliação em preto e branco. No dia 7 de maio, além de levar câmeras e outros equipamentos para venda, às 17 horas Eugênio realizará uma demonstração ao vivo de revelação de um filme preto e branco com fotos tiradas ao longo do evento. Será imperdível.


Repórter fotográfica desde 1982, Zuleika atuou no Jornal Correio Braziliense, onde construiu uma sólida carreira em fotojornalismo, colaborando semanalmente para a Revista do Correio e assinando a coluna Photo & Grafia. Paralelamente, conseguiu se destacar como artista, registrando o cotidiano de Brasília. Atualmente trabalha como fotógrafa independente e administra o Plano Imaginário (@planoimaginário), um espaço dedicado à fotografia, localizado na 504 Sul, e está em cartaz no Espaço Renato Russo com a exposição Brasília Reinventada: Narrativas do Tempo. Zuleika deixou o filme de lado há um tempo, mas nunca parou de fotografar a cidade onde nasceu e vive até hoje, Brasília. Para a Filme Queimado, ela levará uma seleção de seus prints e de seu projeto de fototecidos.


Completando o time de expositores o evento receberá oBarco Estúdio (@obarco.estudio) e o Granulado (@granuladobr). oBarco Estúdio é um espaço de experimentação que vem navegando desde 2015 na onda do ressurgimento da cultura fotoquímica, oferecendo cursos, vivências, insumos e serviço de laboratório no Distrito Federal. Na feira eles receberão filmes para revelação e estarão com diversas câmeras e filmes fotográficos à venda, além de uma câmera lambe-lambe fazendo retratos analógicos durante o evento, a partir das 13h. Já pensou em acompanhar esse processo histórico feito dentro de uma câmera de madeira, à moda antiga?

O Granulado representa bem a nova onda de jovens interessados em fotografia analógica. Por lá o fotógrafo Bernardo de Oliveira comanda um estúdio de revelação e digitalização de negativos, além de vender filmes, câmeras analógicas e acessórios. O Granulado marca presença na Filme Queimado com uma seleção de câmeras analógicas e filmes que estarão disponíveis para venda. Durante o evento você também poderá deixar com o Granulado o seu filme para revelação.

Além da possibilidade de bater um papo com quem entende de fotografia analógica e poder levar para casa um filme ou sua câmera dos sonhos, a Filme Queimado propõem ao público um novo olhar sobre fotografias antigas. Às 13 horas a artista colagista e graduanda em antropologia Bruna Frangalhos (@frangalhos) irá ministrar uma oficina gratuita de colagem com fotografias antigas que estão no antiquário. A proposta é desenvolver um novo olhar e quem sabe uma narrativa para essas imagens esquecidas pelo tempo.

Programação: 11h - Abertura do portão 13h - Oficina de colagem com fotografias antigas com a artista colagista Bruna Frangalhos (@frangalhos) - Participação gratuita 17h - Demonstração ao vivo de revelação de filme preto e branco com Eugenio Novaes (@eugenio_novaes_darkroom) - Participação gratuita Filme Queimado - 1ª Feira de Fotografia Analógica do Bom e Velho 7 de maio (sábado) da 11h às 20h Local: Bom e Velho Mercado de Antiguidades (SMAS Área Especial G Cj A Lotes 13 e 14 - Guará, Brasília - DF - Próximo ao Clube da Saúde e ao Galpão 17)

Entrada franca Classificação Livre