A Segunda Cultural do açougue T-Bone será mais uma vez on-line


O tradicional projeto surge reinventado, promovendo lives para acolher e valorizar a produção dos artistas brasilienses dos mais diferentes segmentos

Após um ano e dois meses fechado, o Espaço Cultural T-Bone reabre suas portas de forma distinta e convida o público brasiliense a assistir à exibição on-line da Segunda Cultural, agora em formato de lives, transmitidas diretamente do próprio espaço. Sarau de música e poesia, exposições de artes visuais e apresentações teatrais se misturarão numa programação variada, que promoverá a cultura e a arte da capital federal. Toda essa festa começou no dia 8 de março, e segue até o mês de junho, com programas quinzenais, exibidos pelo canal T-BONE Cultural, no YouTube.

A novidade encerra o ciclo adormecido do famoso Açougue Cultural T-Bone, silenciado pela pandemia do COVID-19. Há mais de duas décadas, o projeto transforma a entrequadra 312/313 norte num lugar fervilhante, considerado símbolo da cultura brasiliense, consagrado pela valorização e promoção dos artistas locais, pelos shows gratuitos a céu aberto e pela presença de milhares de pessoas, de todas as idades e classes sociais.

A Segunda Cultural Online foi a fórmula encontrada para prosseguir com as atividades culturais, como forma de resistência e união e, como o título revela, acontecerá às segundas-feiras, quinzenalmente, entre os meses de março e junho, totalizando 09 programas.

PROGRAMAÇÃO DIA 22 DE MARÇO:

22 de março - programa dedicado à celebração da cultura popular do Brasil Central

Música - Chico Nogueira

Exposição “Passeio na Savana”, de Severina Gonçalves

Teatro - “Santa Dica”, da Cia. Burlesca de Teatro

Sarau Poético com Cumpadi Anselmo

PROGRAMA 02

22 de março – dedicado à celebração da cultura popular do Brasil Central

Música: Chico Nogueira

Chico Nogueira é de Taubaté-SP, músico autodidata que criou a primeira orquestra de viola caipira do Brasil, em 1991. Tocou com a Cia. Carroça de Mamulengos, Cia Boneco e Riso, Cia Bokemboca de Anápolis e criou o grupo Mambembrincante. Participou de diversos filmes e documentários nacionais, compôs e gravou as canções do curta-metragem “Maio nosso maio”, no qual também faz a narração. Em 2015, iniciou carreira solo, se apresentando em diversos lugares do Brasil, Alemanha, Índia e Uruguai. Foi protagonista em 2020 do filme “A Viola e a Jabuticaba” sobre Olhos D’água/GO. Também gravou os filmes “Viola Central” de Domingos de Sálvia, “A Viola Caipira na Rota do Ouro Goiano” e “Encontro dos Povos do Grande Sertão Veredas - online”, em Minas Gerais. Em 2016 lançou seu primeiro CD solo: “Chico Nogueira Viola e Vós”.

Exposição “Passeio na Savana” da artista Severina Gonçalves

Severina Gonçalves é autodidata, nascida em Riacho de Santana no RN, em 1939. Tem 81 anos, morou em Lavras/MG por um ano, em uma fazenda de café, chegou a Brasília direto para Planaltina, em 1985. Começou a fazer suas esculturas aos 5 anos de idade como uma brincadeira de criança e não parou mais. Durante todos esses anos foi aperfeiçoando sua técnica conhecida como “Arte Severina”. A natureza é sua inspiração, o que consideram lixo é desconstruído e reconstruído na forma de arte, sob seu olhar sensível e suas mãos habilidosas.

Espetáculo “Santa Dica” da Cia. Burlesca de Teatro

A Cia Burlesca foi criada em São Paulo, em 2004, pelo ator, diretor, palhaço e músico Mafá Nogueira, resultado da necessidade de mesclar as linguagens do circo, da música e do teatro. Quatro anos depois o grupo se estabelece em Brasília e realiza diferentes projetos em teatros, escolas e espaço públicos. Em seu repertório estão os espetáculos “O Segredo”, inspirado no conto O Se