"A Xilogravura Popular - Xilógrafos e Poetas de Cordel" se encerra domingo


Lançamento do catálogo e bate-papo com curadores marcam a reta final da exposição em Brasília

Para encerrar a exposição "A xilogravura popular - xilógrafos e poetas de cordel", Brasília receberá no sábado, 02 de fevereiro, os curadores Edna Pontes e Fábio Magalhães para um bate-papo sobre a arte de transformar madeira em histórias. Na ocasião, será lançado um catálogo de capa dura, que reúne as fotos de todas as gravuras da mostra, além de textos e entrevistas. O encontro acontecerá a partir das 18h no Museu Nacional da República. Trezentos livros serão distribuídos gratuitamente ao público. “A Xilogravura Popular: Xilógrafos e Poetas de Cordel”, em cartaz no Museu Nacional da República até 03 de fevereiro, traz ao público o casamento da xilogravura com a literatura de Cordel, que narra a criatividade do imaginário do nordeste brasileiro. A curadoria é de Edna Pontes e Fábio Magalhães. A mostra reúne cerca de 300 xilogravuras, além de matrizes de xilogravuras e álbuns de Cordel, que recontam um pouco da trajetória dessa arte popular. São peças de acervos pessoais e de museus, assinadas por grandes nomes como Ariano Suassuna, Dila, Jota Borges, Samico, Mestre Noza, Palito, entre outros. Trechos das histórias de Cordel também são apresentados ao público, assim como as narrativas dos cantadores e dos repentistas.

Publicidade

© 2021 por Rodac Comunicação Criativa