Aplicativo que permite interação da população com gestores do GDF será lançado em abril


O objetivo da ferramenta é auxiliar na tomada de decisões e no desenvolvimento de políticas públicas em cada região

Já pensou o Distrito Federal, onde fica a capital do país, se tornar referência como uma Cidade Inteligente? Esta realidade está mais próxima do que se imagina. Uma parceria celebrada entre o Instituto de Desenvolvimento, Inclusão Social e Cultural (IDISC) com a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia do DF (SECIT), atua em prol de ampliar a capacidade participativa do cidadão por meio da tecnologia.


Assim sendo, em abril deste ano, o aplicativo chamado GDF+ será lançado na Região Administrativa do Gama para facilitar o acesso da população com os gestores locais. A plataforma irá contribuir para que os mais de 150 mil moradores da região possam compartilhar, em tempo real, as ocorrências que acontecem, auxiliando assim, os órgãos competentes nas soluções para os problemas locais.


Desenvolvido pelo IDISC, o aplicativo que utiliza o sistema MGVO2 será gratuito e poderá ser baixado na play store para Android e IOS. Neste projeto piloto, o app irá funcionar como uma espécie de rede social, onde o público poderá deixar comentários sobre os serviços e espaços públicos da região.


O principal diferencial do aplicativo é a utilização da geolocalização. Assim, o administrador da região, ao verificar a manifestação do cidadão, conseguirá ver exatamente onde ocorreu o fato por meio de um mapa em que ficará marcada a localização da sugestão ou reclamação feita pelo usuário.


O projeto

Batizado de Cidade Inteligente, o projeto tem como objetivo funcionar como uma espécie de ouvidoria, onde o gestor da administração regional da cidade terá acesso por meio de geolocalização às demandas populacionais.


“A ideia é que essa metodologia de gestão governamental eletrônica seja um auxílio na formulação de políticas públicas de cada região do DF, mas inicialmente, começaremos pelo Gama'', explica Alexandra Leite, coordenadora geral do IDISC.


E completa: “Ter a participação da população será essencial para promover a melhoria da qualidade de vida. Por meio do aperfeiçoamento de tecnologias é possível trabalhar com soluções técnicas para resolver todas as demandas”, pontua.


Ainda segundo Alexandra, a expectativa desse aplicativo é de que outros Estados, Cidades ou Municípios possam adquirir e implementar o sistema.


“É uma tecnologia funcional e de fácil mobilidade para o cidadão. Além disso, a ferramenta faz com que o usuário participe de forma mais ativa das demandas do local onde mora.

O início do projeto será na região administrativa do Gama, uma vez que o local é bastante movimentado e tem circulação média de 200 mil pessoas por dia. Contudo, a intenção do Instituto é estender o serviço a todas as localidades do DF.