Atacadistas mais otimistas com a Páscoa deste ano


Embora o preço dos produtos esteja mais caro este ano, empresários esperam um movimento até 5% maior do que o registrado em 2021

Vem aí a Páscoa deste ano - que será comemorada no dia 17 de abril - e o comércio atacadista brasiliense especializado em chocolates e outros produtos pascais espera preencher a lacuna do baixo movimento dos dois últimos anos – um reflexo claro da pandemia.


Levantamento divulgado recentemente pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) dá conta de que o comércio brasileiro deve faturar R$ 2,16 bilhões com a Páscoa de 2022, volume um pouco melhor, de +1,9% em comparação ao ano anterior. Ainda assim, caso seja confirmada a previsão, o resultado ficará 5,7% abaixo do alcançado no período pré-pandemia, em 2019 (R$ 2,29 bilhões).

No Distrito Federal, a tendência, segundo o Sindicato do Comércio Atacadista do DF (Sindiatacadista/DF), segue perspectiva similar, já que os empresários estimam vender 5% a mais este ano.


Para o presidente do Sindiatacadista/DF, Álvaro Jr, este será o ano dos produtos mais em conta e populares, já que os consumidores estão buscando alternativas para economizar. “Como observamos com o bacalhau, que em 2022 teve retração de 17% no volume de importações, o recuo – no sentido de investir em produtos mais simples e, consequentemente, mais baratos - é uma estratégia do varejo. “É um indício de que o setor está apostando na melhor saída de produtos mais acessíveis, a partir da aceleração dos índices gerais de preços”, avalia.

O empresário Clair Dal Berto, da Disdal, atacadista brasiliense que atua no ramo, está otimista. Ele espera que, neste ano, as vendas de ovos se igualem às do ano passado, mas, segundo ele, a linha regular de chocolates e produtos presenteáveis (caixas de bombom, por exemplo) deve ter um crescimento de 20%, em relação ao ano passado.

De acordo com Clair, o preço dos ovos infantis também sofreu um forte impacto de custo com aumentos na cadeia, devido aos impactos do valor das licenças utilizadas, que possuem cotação em dólar. A linha regular de ovos teve, ainda, reajustes entre 2% e 8%, devido ao aumento dos insumos.


“Estamos bem confiantes este ano e acreditamos que os picos de vendas devem ocorrer entre os dias 11 e 17 de abril”, afirma, lembrando que a Páscoa possui uma dinâmica de abastecimento bem diferente da relacionada aos produtos regulares. “Em geral, o abastecimento é realizado dois meses antes do evento, uma única vez, sem reposição”, explica.


Entre os produtos mais procurados estão as linhas de chocolates em barra, caixas de bombons (com destaque para a marca Bis), além de ovos Sonho de Valsa, Ouro Branco, Diamante Negro, entre outros.


Já Rodrigo Mamede, diretor comercial da Sobebe, empresa responsável pela distribuição de marcas como Visconti e Bauducco no DF, conta que tem crescido exponencialmente a procura pela linha de colombas pascais pelos brasilienses. “A indústria tem feito um trabalho para fazer com a colomba o mesmo que foi feito com os panetones, no passado. “A intenção é criar uma referência sazonal de maneira que o consumidor aguarde a Páscoa para consumir o produto, assim como faz com os panetones. Desde o início da nossa operação com esta categoria, há quatro anos, temos crescido em média 20% ao ano. No ano passado, este movimento foi maior do que o ano de 2020, algo em torno de 30%, que creditamos à mudança de comportamento das famílias em função da pandemia”, explica.


Segundo ele, houve uma média de 18% de reajuste no preço das colombas, quando comparado com 2021. Entre os produtos desta categoria mais procurados, destacam-se os de menor gramatura, chamados mini colombas.


Páscoa – A Páscoa é uma celebração do calendário religioso cristão em memória à crucificação e à ressurreição de Jesus Cristo. A celebração cristã inspirou-se em uma comemoração judaica chamada pesach, que acontecia na mesma época que Jesus supostamente foi crucificado e ressuscitou.


O ovo de Páscoa é um dos grandes símbolos da Páscoa e é bastante comum que as pessoas presenteiem umas às outras com esse item. Na Antiguidade, o ovo era visto como símbolo de fertilidade em diferentes culturas, e muitos decoravam ovos e os usavam como presentes. Os primeiros ovos de chocolate surgiram na França, no século XVIII.


Ao longo da história, o ovo foi enxergado como um dos mais tradicionais símbolos associados