top of page

Brasília registra a maior alta no preço do aluguel de toda a série histórica, revela Índice QuintoAndar Wimoveis

O preço do aluguel bateu recorde em Brasília. Após uma queda em novembro, ele voltou a subir e atingiu o maior patamar de toda a série histórica no final do ano: R$ 43,46 o metro quadrado. Os dados são do Índice de Aluguel QuintoAndar Wimoveis, divulgado hoje.Os dados mostram ainda que a alta mensal de 2,77% e a alta acumulada em 12 meses de 12,23% são as maiores já vistas desde 2019, início da série.“Apesar da alta recorde, a variação é em próxima da registrada nos meses finais de 2022. Isso mostra que o mercado brasiliense segue resiliente e consistente, mantendo o crescimento mesmo após recuperar as perdas registradas nos últimos anos”, ressalta Pedro Capetti, especialista em dados do Grupo QuintoAndar. Segundo o indicador, nenhuma região teve uma desvalorização quando analisado todo o ano de 2023. Em contrapartida, o Setor de Clubes Esportivos Sul teve uma valorização expressiva no ano passado: 20,7%. Completam o top 5 do ano o Setor Sudoeste (15,5%), o Lago Norte (15,4%), Taguatinga (13,2%) e a Asa Norte (11,9%).O Setor de Clubes Esportivos Sul, aliás, permanece como o local mais caro para se morar na cidade. O preço do metro quadrado (R$ 89) ainda é mais do que o dobro da média da cidade.Desconto em patamar baixoO mercado também continua extremamente aquecido em Brasília. Dados do Índice de Aluguel QuintoAndar Wimoveis mostram que o desconto médio das transações feitas em dezembro foi de 2,1% - 0,8 ponto percentual a menos que no mesmo mês de 2022.“Trata-se de um dos menores percentuais já registrados. Isso revela que o espaço para barganhar está pequeno. Nesses momentos, é de extrema importância se preparar: buscar informações sobre qual o valor do aluguel em imóveis parecidos na região, conversar com pessoas que moram no mesmo condomínio e pesquisar outros imóveis parecidos por perto. Isso ajuda a dar uma noção melhor do valor e contribui para negociar um valor que caiba no bolso”, ressalta Pedro Capetti. Veja as 5 regiões mais caras da cidade (com o respectivo valor do metro quadrado):

  1. Setor de Clubes Esportivos Sul - R$ 89,0

  2. Setor Sudoeste - R$ 45,9

  3. Asa Sul - R$ 45,1

  4. Asa Norte - R$ 44,4

  5. Lago Norte - R$ 43,6

É importante ressaltar que o preço médio do metro quadrado reflete as características inerentes de cada localidade. Isso significa que regiões onde predominam apartamentos menores, por exemplo, tendem a ter um valor maior nesta leitura específica.


Sobre o Índice | Metodologia

A metodologia do novo Índice usa um modelo de preços hedônico, flexível, e incorpora dezenas de variáveis estruturais e locacionais para melhorar a qualidade e precisão dos dados. Fatores como tamanho, número de vagas de garagem, acessibilidade a escolas, entre outros, são levados em conta. Como resultado, o Índice se mostra um retrato fiel das tendências no mercado.O novo índice substitui o antigo Índice QuintoAndar de Aluguel (e também o Index do Imovelweb). O novo Índice parte de uma base de dados maior e mais representativa. Lançado em SP, Rio, Curitiba, Belo Horizonte, Porto Alegre e Brasília, o indicador tem periodicidade mensal. Acesse grupoquintoandar.com/indice-de-aluguel/ para mais informações.

Sobre o Grupo QuintoAndar 

O Grupo QuintoAndar é o ecossistema imobiliário líder na América Latina, com presença na Argentina, Brasil, Equador, México, Panamá e Peru. Com 10 anos de atuação, mais de 55 milhões de visitas mensais e 8 milhões de anúncios publicados em suas plataformas, o Grupo QuintoAndar tem como objetivo ajudar as pessoas a amarem o lugar onde moram. A holding possui um portfólio diversificado de marcas e soluções que aliam tradição e inovação e abrangem todas as diferentes etapas relacionadas à moradia, por meio de  suas marcas QuintoAndar, Benvi, QuintoCred, Imovelweb, Wimoveis, Zonaprop, Inmuebles24, Adondevivir, Urbania, Plusvalía, Compreoalquile e Tokko Broker , entre outras. Para saber mais, acesse nossa Sala de Imprensa.

 

Posts Relacionados

Ver tudo

Airfryer pode levar a um processo cancerígeno

Acadêmicos da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) e da Faculdade Evangélica Mackenzie do Paraná (Fempar) esclarecem os riscos à saúde do uso excessivo da Airfryer. Ainda faltam estudos conclusi

bottom of page