top of page

Congresso Nacional é iluminado em homenagem ao Dia Mundial da Trombose


Em 13 de outubro é lembrado o Dia Mundial da Trombose, data que integra a campanha global de conscientização sobre a doença e suas complicações, bem como sua prevenção. Para homenagear a causa e atrair mais atenção para a efeméride, o Congresso Nacional será iluminado na noite de 13 de outubro com as cores azul e vermelho, alusivas ao Dia Mundial da Trombose. A campanha é liderada em âmbito global pela Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia (ISTH, na sigla em inglês), enquanto, no Brasil, entidades médicas como a Sociedade Brasileira de Trombose e Hemostasia (SBTH) tomam a frente da ação. Segundo a ISTH, a trombose venosa é a terceira causa de morte por doenças cardiovasculares em todo o mundo, o que mostra a importância de campanhas para conscientizar e prevenir a população sobre a doença. Devido a relevância da causa, o Congresso Nacional, parceiro do Dia Mundial da Trombose, irá contribuir com a campanha por meio da iluminação do Senado Federal, na noite de 13 de outubro. O Santuário do Cristo Redentor, localizado no alto do Morro do Corcovado, na cidade do Rio de Janeiro, e o estádio Beira Rio, em Porto Alegre (RS), também serão iluminados de azul e vermelho em homenagem à data. A trombose indica a obstrução de qualquer vaso sanguíneo do organismo humano a partir da formação de um coágulo. “A trombose é uma doença considerada bastante comum, porém grave. Ela pode ser arterial, quando ocorre formação de coágulos (trombos) nas artérias que levam o sangue do coração aos tecidos e órgãos, ou venosa, quando ocorre nas veias que trazem o sangue dos tecidos para o coração”, afirma a médica hematologista Joyce M. Annichino, presidente da SBTH e coordenadora do Centro de Doenças Tromboembólicas (CDT) do Hemocentro da Unicamp. O tipo mais comum é a trombose venosa profunda (TVP), que ocorre quando o coágulo se forma em uma veia profunda localizada nas pernas, causando dor, calor, inchaço e mudança na coloração da área afetada. “A trombose venosa é a terceira causa de morte por doenças cardiovasculares, e um a dois indivíduos em cada mil, por ano, apresentará um episódio trombótico”, alerta a Dra. Joyce. Em alguns casos, o trombo – como é chamado o coágulo sanguíneo – pode acabar se soltando e sendo transportado até os pulmões através da circulação sanguínea, causando a embolia pulmonar (EP), uma das complicações mais graves da trombose. A EP compromete a função da circulação sanguínea, causando dor no peito e falta de ar, podendo até mesmo ser fatal. Segundo a médica hematologista, o conhecimento sobre a trombose, seus sintomas e fatores de risco são essenciais para assegurar a prevenção da doença. “O mais importante é que aproximadamente 50% dos casos de tromboembolismo podem ser evitados. Portanto, todas as ações no sentido de esclarecimento da população e capacitação de profissionais da saúde têm um efeito altamente relevante”, pontua a professora-doutora. Os principais fatores de risco da trombose são tabagismo, ganho de peso, sedentarismo, uso de anticoncepcionais combinados e reposição hormonal, gravidez e puerpério, tendência familiar, câncer, imobilização prolongada, hospitalização, viagens longas e histórico pessoal de trombose. Conhecer os fatores de risco da trombose e comunicá-los aos profissionais de saúde pode auxiliar no diagnóstico mais rápido da doença. O tratamento de tromboembolismo venoso (TEV) é realizado com base no uso de medicações anticoagulantes para impedir a progressão e migração do trombo. Em casos graves, em que há risco de vida ou perda do membro, pode-se utilizar medicações que dissolvam o trombo, intervenção por meio de cateterismo ou até mesmo cirurgias. O paciente deve se consultar com seu médico para analisar o risco de desenvolver novas tromboses e a necessidade de adotar outros métodos preventivos.

Sobre o Dia Mundial da Trombose – No dia 13 de outubro é lembrado o Dia Mundial da Trombose, que tem como objetivo aumentar a consciência sobre a trombose entre profissionais da saúde, pacientes e entidades do governo e do terceiro setor. No entanto, devemos estar em alerta para essa afecção todos os dias. Em âmbito global, a campanha desta efeméride é liderada pela Sociedade Internacional de Trombose e Hemostasia (ISTH, na sigla em inglês) e, no Brasil, por entidades médicas, entre as quais se destaca a Sociedade Brasileira de Trombose e Hemostasia (SBTH). Para saber mais, acesse o site do Dia Mundial da Trombose e também o site da SBTH.

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


bottom of page