top of page

Cuidados financeiros durante compra do material escolar para o início das aulas

O início do ano letivo está cada vez mais próximo para a maioria dos estudantes das diferentes instituições de ensino em todo o Brasil. Para eles, este é o momento de fazer a compra do material, a partir de uma lista pré-determinada e enviada pelo local onde estudam. Porém, com o constante aumento de preços dos itens de papelaria nos últimos anos, é essencial tomar cuidado com os gastos.

As listas de material escolar sempre geraram polêmica entre pais e responsáveis, pelo fato de algumas instituições exagerarem nos pedidos. Diante deste cenário, a legislação precisou intervir. De acordo com a Lei Federal nº 12.886/2013, materiais de uso coletivo não podem ser exigidos na lista, como por exemplo: papel higiênico, papel sulfite, giz ou caneta para lousa, produtos de higiene e copos descartáveis. As escolas também não podem exigir a compra de marcas específicas e nem lojas de papelarias selecionadas.

Para evitar transtornos, o especialista em finanças pessoais, João Victorino, explica que antes de comprar o material escolar, é importante seguir alguns passos: revisar a lista de materiais fornecida pela escola para garantir que está completa e atualizada; conferir se há materiais do ano anterior que ainda estão em boas condições e podem ser reutilizados; fazer uma pesquisa de preços em diferentes lojas físicas e online para encontrar as melhores ofertas; determinar um limite de gastos realista com base em sua situação financeira.

Segundo João, é recomendável ter um planejamento financeiro ao criar uma reserva para os gastos com material escolar. “Para que essa reserva exista é preciso de organização, ou seja, antecipe-se aos gastos e economize ao longo do ano para formar a reserva específica para despesas escolares. A partir disso, identifique os itens essenciais da lista e priorize esses gastos na reserva financeira. Além de fazer uma estimativa realista dos custos com base em pesquisas de preços e consultas com outros pais que estão indo em lojas diferentes”, afirma.

Quanto aos materiais que costumam custar mais caro, o ideal é ter algumas estratégias para não extrapolar o orçamento proposto, pois comprar por impulso é bastante prejudicial. Para o especialista, a busca por promoções e descontos é extremamente fundamental nestes casos, com o objetivo de reduzir os custos. Outra opção viável é substituir determinados itens por alternativas mais acessíveis e econômicas, como materiais usados e que ainda estejam em bom estado.

João destaca que é possível fazer escolhas conscientes sem deixar de seguir o que está nas listas enviadas pelas instituições de ensino. “Uma excelente alternativa para economizar é fazer um grupo entre pais e responsáveis para realizarem a compra do material em conjunto, obtendo descontos por atacado. Além disso, escolha marcas mais acessíveis, desde que não comprometam a qualidade. Tudo é uma questão de planejamento adequado, que tornará esse momento prazeroso sem exceder o orçamento estipulado previamente”, finaliza.

 

Sobre João VictorinoJoão Victorino é administrador de empresas e especialista em finanças pessoais, formado em Administração de Empresas, tem MBA pela FIA-USP e Especialização em Marketing pela São Paulo Business School. Após vivenciar os percalços e a frustração de falir e se endividar, a experiência lhe trouxe aprendizados fundamentais em lidar com o dinheiro.Hoje, com uma carreira bem-sucedida, João busca contribuir para que pessoas melhorem suas finanças e prosperem em seus projetos ou carreiras. Para isso, idealizou e lidera o canal A Hora do Dinheiro com conteúdo gratuito e uma linguagem simples, objetiva e inclusiva.

Posts Relacionados

Ver tudo

IDesconto 2024 promete esquentar o inverno no DF

O Shopping ID traz uma boa notícia para quem quer renovar móveis e decoração da casa ou escritório: a partir da próxima quarta-feira (26/6) clientes poderão desfrutar de descontos de até 50% em todas

Comments


bottom of page