top of page

Indicada ao Grammy faz show gratuito em Brasília


Vai ter Chopin, Chiquinha Gonzaga e Mozart no repertório do concerto de música de câmara que será apresentado no palco do CTJ Hall da Casa Thomas Jefferson nesta sexta-feira, 10 de maio. As obras serão executadas por uma das mais importantes e consagradas pianistas da atualidade, a carioca Clara Sverner. Ela foi indicada duas vezes ao Grammy e fará única apresentação gratuita na capital neste fim de semana. O público nem precisa retirar os ingressos antecipadamente. Basta comparecer ao CTJ Hall, que fica na 706/906 Sul. A apresentação começa às 20 horas e será transmitida ao vivo pelo canal da Thomas no Youtube.

Vencedora do Prêmio Profissionais da Música 2019 no segmento Clássico, Clara Sverner é uma Intérprete de talento reconhecido por público e crítica do Brasil e do exterior. Para este concerto, ela buscou o que há de mais refinado na música de câmara mundial. Clara Sverner domina como poucos a música clássica, graças à  sólida formação iniciada em São Paulo com o mestre e professor José Kliass. Ela aperfeiçoou-se em centros musicais renomados como o Conservatório de Genebra, onde recebeu uma medalha de ouro, e o Mannes College of Music, de Nova Iorque. Premiada no Concurso Internacional Wilhelm Backhaus, ainda adolescente, Sara iniciou uma vitoriosa carreira que a tornou uma das mais prestigiadas virtuoses brasileiras. 

Clara Sverner é considerada uma artista inquieta que não se cansa de se aperfeiçoar, pesquisar e ousar. Ela é apontada como a principal responsável pela redescoberta das obras do brasileiro Glauco Velásquez. Foi ainda pioneira a desvendar a produção pianística de Chiquinha Gonzaga, a quem dedicou várias gravações. Então, em 1980, saiu o primeiro álbum com algumas obras para piano da maestrina. O sucesso foi imenso e, em 1981, gravou o segundo LP com outras obras de piano da compositora. Em 1999, o CD “Chiquinha Gonzaga por Clara Sverner”, foi utilizado na minissérie da Rede Globo, “Chiquinha Gonzaga”. A pianista também foi responsável pela primeira gravação do disco no Brasil com obras de Anton Webern, Alban Berg, Eric Satie e Maurice Ravel.


A discografia de Clara Sverneré composta por 27 títulos, distribuídos internacionalmente. A trajetória discográfica da pianista carioca é marcada por gravações emblemáticas e projetos aclamados pela crítica especializada e pelo público. Aos 88 anos de idade, Sverner mantém afiado o senso estético, o primor técnico e jovialidade em cada apresentação. A pianista se apresentou em recitais e concertos por todo o Brasil e em turnês para plateias dos EUA, da Europa, do Japão e de Israel. Nos programas de cada concerto ela exibe um repertório que escolhe meticulosamente e onde inclui desde antigos virginalistas ingleses do século XVI até os principais representantes do século XX. Clara Sverner diz que privilegia, antes de tudo, a qualidade estética, o arrojo da invenção e a carga expressiva das músicas que executa.A apresentação faz parte do projeto Sextas Musicais, que oferece semanalmente ao público, de forma presencial, shows do melhor da música brasileira e internacional. A Casa Thomas Jefferson conta com o apoio da Embaixada dos Estados Unidos na realização dos eventos culturais.


Serviço:[

O quê: Concerto com Clara Sverner

Quando: Sexta, dia 10, às 20 horas, no CTJ Hall, 706/906 Sul

Quanto: Entrada franca.


Comments


bottom of page