top of page

Cardiologista fala sobre os cuidados que o folião deve ter com o coração durante o carnaval


O Carnaval está chegando! São quatro dias de festa, no mínimo. E haja preparo físico e disposição para aguentar o batidão da celebração brasileira mais famosa mundo afora. Para ter um período tranquilo, o folião deve ficar atento à saúde e à segurança na hora de pular atrás do trio. 

Entre as questões de saúde que mais devem ser levadas em consideração estão os cuidados com o coração. Isso porque, segundo dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), o número de mortes relacionadas às doenças cardíacas no Brasil assusta: foram mais de 400 mil vítimas em 2023. E, neste período em que as pessoas estão expostas ao calor excessivo, esgotamento físico e consumo exagerado de álcool e de energéticos, eleva-se a probabilidade de problemas relacionados ao funcionamento do órgão. 

Segundo o cardiologista do Instituto do Coração de Taguatinga (ICTCor), Ernesto Osterne, pular por longas horas seguidas, comer demais, ficar exposto muitas horas ao sol, ingerir muitas bebidas alcoólicas e esquecer das horas de sono necessárias são alguns dos fatores que podem sobrecarregar a saúde cardíaca. Fora isso, o consumo de energéticos pode atrapalhar o bom funcionamento do coração, causando, em especial, a fibrilação atrial, sendo um tipo de arritmia cardíaca que torna os batimentos acelerados. 

"É necessário adotar alguns cuidados para evitar esse tipo de problema, principalmente se a pessoa for sedentária e estiver com preparo físico inadequado. Todo esforço físico eleva o ritmo dos batimentos cardíacos, pois o coração precisa bombear mais sangue para atender ao maior consumo de oxigênio do organismo e dos pulmões. A elevação abrupta da pulsação e acima de determinados limites, principalmente se a pessoa não estiver bem condicionada, pode provocar parada cardiorrespiratória ou um infarto do miocárdio, com alto risco de morte", alerta o médico. 

O cardiologista conta ainda que é comum se empolgar com as festividades, mas vale lembrar que atividades físicas intensas como pular, dançar e até mesmo correr podem ser arriscadas se a pessoa não faz check-up, podendo induzir arritmias, desmaios e hipertensão, especialmente para aqueles que já têm alguma condição cardíaca. 

Álcool e estimulantes podem fazer mal ao coração, principalmente se tomados juntos. Os energéticos em excesso são ricos em cafeína e taurina, e por reduzir a sensação de embriaguez fazem com que muitos acabem bebendo mais do que deveriam. Aproveite, mas sem exagerar. O calor extremo também pode causar problemas respiratórios e no coração, devido à desidratação, estresse térmico e vasodilatação, aumentando o esforço do coração. Pode também exacerbar as condições respiratórias e comprometer a qualidade do ar, elevando o risco de problemas pulmonares. 

É necessário relembrar a importância de andar com uma garrafinha de água na mão ou na bolsa. Além disso, não esqueça de colocar roupas leves e arejadas, principalmente em ambientes mais fechados, tais como os salões.


bottom of page