top of page

Dengue: qual repelente usar?

O Distrito Federal decretou estado de emergência devido ao surto de dengue. A Secretaria de Saúde identificou 45.064 casos de dengue e 11 mortes, desde o começo do ano de 2024. Segundo o Ministério da Saúde e de médicos especialistas, a maneira mais eficaz para a prevenção é que, pessoas de todas as faixas etárias façam o uso de repelentes. A médica dermatologista Amália Coutinho esclarece que há dois tipos principais de repelentes, indicados também pela OMS (Organização Mundial de Saúde), para se proteger contra o mosquito Aedes Aegypti. São eles à base de Icaridina e de Deet.

 

 “Ambos os repelentes protegem muito bem e fazem essa função de repelir o mosquito, mas a Icaridina tem um tempo de duração maior, então você fica mais tempo protegido com uma aplicação. Ao contrário do Deet, que protege bem, mas você tem que reaplicar mais vezes. E nessa história de reaplicar mais vezes, maior a chance da pele ficar mais irritada, ressecada e, às vezes, até com alguma alergia”, elucida Dra. Amália, médica, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. A especialista esclarece que a Icaridina tem duração de 12 horas, enquanto, os repelentes à base de Deet, quatro horas.

 

O uso de roupas claras, leves e que cubram todo o corpo também é uma maneira eficaz de se proteger do Aedes aegypti - que tem atração pelo suor e por cores escuras. “Medidas protetivas físicas, como roupas, são muito bem-vindas, principalmente para as crianças, que tem uma sensibilidade maior na pele, então, às vezes, toleram menos o uso constante de repelente”, salienta Dra. Amália.

 

 

Mulheres: repelente e uso de maquiagem

Muitas mulheres têm dúvidas quanto à aplicação do repelente no rosto, sobretudo, quanto à ordem de aplicação do hidratante, protetor solar, maquiagem e do produto de proteção.  “O repelente sempre vai ser o último a ser aplicado. Então, pode passar o hidratante, pode passar o protetor solar, por último vem o repelente. E no caso da face, se fizer uso de maquiagem, ainda assim será o último aplicado”, pontua a especialista.

 

A médica dermatologista esclarece que o repelente, na face, muitas vezes irrita a pele das mucosas do rosto. “Indico que minhas pacientes não joguem o spray diretamente na face para não ter irritação de mucosas, de nariz, de olhos e de boca. Sugiro passar o repelente com a mão, em pequenas quantidades, com pequenas batidinhas”, finaliza.

 

Serviço: Dra Amália Meyer Coutinho

Local: Clínica Aluma

Endereço: SGAS 613/614 Sul – Vitrium Centro Médico – sala 186 – Brasília/DF

Telefone: 61 98257-1212 / 61 3242-3000


Comentarios


bottom of page